Buscar
  • FEVERESTIVAL Campinas

MEXICANOS TRAZEM REFLEXÃO SOBRE MIGRAÇÃO, SOBREVIVÊNCIA E SOLIDÃO NO 15º FEVERESTIVAL

Pela 6ª vez no Brasil, Vaca 35 Teatro en Grupo quer dialogar com o Brasil em um momento político “complexo e difícil” através da peça Josefina la Gallina Puso un Huevo en la Cocina

Josefina la Gallina Puso un Huevo en la Cocina fala sobre migração, sobrevivência e solidão (Foto: Héctor Ortega)


por: Miguel Von Zuben


Nesta 15ª edição, o Feverestival – Festival Internacional de Teatro de Campinas – recebe os compañeros mexicanos do Vaca 35 Teatro en Grupo como representantes estrangeiros da nossa programação. Vindos da Cidade do México, eles apresentam o espetáculo Josefina la Gallina Puso un Huevo en la Cocina na quinta-feira, 13 de fevereiro, às 20h no Centro Cultural Casarão, em Barão Geraldo.

Para o Festival, que foi sempre marcado por grandes participações internacionais, ter um representante latino-americano nesta 15ª edição é revisitar os processos históricos de construção de nossas identidades. “A gente acredita que estar em contato com estes nossos vizinhos territoriais faz com que pensemos por outras perspectivas e nos relacionemos com nossas subjetividades, aquilo que temos em comum, que se entrelaçam porque fazemos parte de uma mesma identidade latino-americana”, conta o produtor do Núcleo Feverestival Vini Silveira, responsável pela recepção dos mexicanos aqui em Campinas.

Ele explica que a escolha de um grupo da América Latina foi definida já na escrita do projeto. “Acreditamos que, estimulando esse atravessamento cultural, a gente possa refletir sobre todos os processos históricos que deram origem a essa concepção da nossa identidade”, diz Vini, se referindo a uma constante construção e movimento de descolonização de nossos corpos e mentes.

Ao longo dos anos, o Feverestival recebeu participações de outros países. Foram eles: Alemanha, Argentina, Bolívia, Burkina Faso, Finlândia, Inglaterra, Israel, Itália e Uruguai. “Eles vieram compartilhar o trabalho deles e também sua cultura. Da mesma forma, esse encontro permitiu que nós compartilhássemos um pouco do nosso fazer e do nosso ser Brasil”, diz o produtor.


“O Feverestival recebe atrações internacionais há muitos anos dentro da programação. É muito importante isso, porque no cenário teatral de Campinas, e mesmo da região, não são nada frequentes as oportunidades de assistir uma produção de outro país, uma produção estrangeira, principalmente de maneira acessível. É muito importante que o Festival possa proporcionar essa experiência, mesmo que seja de uma maneira pontual”. [Vini Silveira, Núcleo Feverestival]


Josefina la Gallina Puso un Huevo en la Cocina

O nome da peça é extenso, mas a temática é sucinta: migração; sobrevivência; solidão. “Nós queremos falar da sobrevivência, e dizer que o medo é um movimento que existe para encontrar de novo a força da ressignificação do que somos”, aponta Damián Cervantes, codiretor e dramaturgista da peça, em entrevista a nossa equipe da comunicação.

“Este movimento que apontamos é o caminho para reencontrar quem você é. Os pássaros fazem isso... as galinhas fazem isso. Essa é uma mensagem também da solidão. Falamos sobre o quanto as pessoas estão ficando sozinhas e ao mesmo tempo com uma necessidade de amor. É um bom momento para falar disso”, explica o codiretor.

O espetáculo foi concebido a partir de materiais pessoais do ator em cena, José Rafael Flores, e se propõe a ser uma exploração, uma migração pessoal na qual se coloca sobre a mesa várias temáticas como memórias de infância, dor e solidão. “A peça não fala de qualquer solidão, mas uma solidão coletiva, que é você estar só no meio da multidão. Isso tem tudo a ver com a nossa atualidade. Quando a gente pensa em Futuros Desejáveis, queremos um mundo menos individualista. Como ter consciência dessa solidão coletiva e, a partir dessa consciência, desejar que ela não aconteça? Como mudar?”, questiona Vini Silveira.


Sexta vez no Brasil

O Vaca 35 já esteve em nosso país em cinco oportunidades para se apresentar em festivais de outros Estados, como Ceará, Goiás e Rio de Janeiro. Em Campinas, eles vêm pela primeira vez. “Conhecer o espectador de uma nova cidade sempre é uma boa oportunidade para nós porque queremos pensar, entender e, ao mesmo tempo, fazer uma proposta de diálogo que pode sair de um novo contexto. Estamos muito ansiosos para que esse diálogo teatral aconteça com uma nova cidade brasileira”, relata Damián.

Para o codiretor e dramaturgista, estar no Brasil em um momento político “complexo e difícil” é muito importante para o grupo. Segundo ele, viajar para cá é pensar conjuntamente sobre o futuro de ambos os países. “O momento político do Brasil está difícil e é por isso que queremos conhecê-lo. Queremos dialogar, conversar sobre ele, e pensar quais são as possibilidades de mudar as más coisas que estão acontecendo, e também as más coisas que acontecem em nosso contexto”.

Mexicanos do Vaca 35 se apresentam nesta quinta-feira, 13/2, em Campinas (Foto: Héctor Ortega)


Dedo de Prosa

Antes da apresentação do espetáculo, o espaço Útero de Vênus recebe no dia 11, terça-feira, às 14h, um encontro entre o grupo mexicano e o Matula Teatro (integrante da cena artística de Campinas desde os anos 2000). O Dedo de Prosa servirá de palco para o compartilhamento dos processos de criação de cada um e análise das diferenças e similaridades dentro de seus contextos políticos e sociais – que também fazem parte do contexto América Latina.

“O espetáculo do Vaca 35 é uma criação coletiva do grupo. Eles produzem muito disso em seu repertório, que é sempre uma criação conjunta. Isso faz muito sentido quando pensamos no cenário teatral de Campinas, pautado nos teatros de grupo e em seus processos colaborativos de criação”, finaliza Vini Silveira.

O Dedo de Prosa é gratuito e aberto ao público em geral, sem necessidade de inscrição prévia. O espaço Útero de Vênus fica na Rua Édna de Barros Sanches, 79, também em Barão Geraldo.


Ficha Técnica

Josefina la Gallina Puso un Huevo en la Cocina

Vaca 35 Teatro en Grupo

Ciudad de Mexico/MX | Espetáculo Adulto


Horário: 20h | Local: Centro Cultural Casarão

Duração: 50 min | Classificação etária: 16 anos | Entrada gratuita

Sinopse: (Português) Um ator que migra. Um percurso de vida. Ele entende sua condição de galinha e a partir daí abre as asas e liberta o corpo para botar milhares de ovos. Neles se refugiar e pensá-los como seus filhos, suas memórias, seus anseios, suas perdas, o passado, e o caminho para fugir do medo e tentar voar, mesmo sendo uma galinha. | (Espanhol) Un actor que migra, un recorrido de vida, que entiende su condición de gallina y a partir de ahí abre las alas y afloja el cuerpo para poner miles de huevos, refugiarse en ellos, y pensarlos como sus hijos, sus recuerdos, sus anhelos, sus pérdidas, el pasado y el trayecto para huir del miedo e intentar volar, aún siendo un ave de corral.

Autor: Creación Colectiva de Vaca 35 Teatro | Elenco: José Rafael Flores (actor), Alberto Rosas (músico) | Dirección: Diana Magallón | Codirector y dramaturgista: Damián Cervantes | Diseño de espacio: Natalia Sedano | Diseño de iluminación: Damián Cervantes | Assistant director: Mari Carmen Ruiz | Producción: Vaca 35 Teatro en Grupo


Serviço 15º Feverestival Quando: 8 a 14 de fevereiro de 2020 Onde: Campinas/SP Programação completa disponível em http://www.feverestival.com.br Visite a gente nas redes sociais! Estamos no Instagram e também no Facebook

O Núcleo Feverestival é composto por Bruna Schroeder, Dandara Lequi, Dudu Ferraz, Lucas Michelani, Victor Ferrari e Vini Silveira. A curadoria dos espetáculos foi realizada por Bell Machado, Carlos Gomes, Cynthia Margareth, Dandara Lequi, Helena Agalenéa e Isis Madi. A 15ª edição é uma realização do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, pela Sorella Produções Artísticas e pelo Feverestival; correalização da Universidade Estadual de Campinas, Lume Teatro (Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Unicamp) e Cocen (Coordenadoria de Centros e Núcleos Interdisciplinares de Pesquisa). Contamos com apoio do SAE (Serviço de Apoio ao Estudante), Sesc, Sesi, Prefeitura Municipal de Campinas, ProEC, Secretaria de Cultura de México, através do Fonca (Fondo Nacional para la Cultura y las Artes), e SRE Consulado Geral do México.

48 visualizações
CONTATO
///
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco