facebook-domain-verification=bq9ibo57eg8xlel54c8jg23e6jtq1x
 
FEVERES__testeira.jpg

Feverestival retorna após dois anos com 16ª edição para Cultivar Convívios em Campinas

Festival que acontece entre 3 e 10 de julho em diversos pontos da cidade traz em sua programação espetáculos adultos, para todas as idades, ações pedagógicas, shows, sarau, debate, encontros e afeto

O Feverestival – Festival Internacional de Teatro de Campinas – celebra em 2022 a realização de sua 16ª edição, entre 3 e 10 de Julho, e também o retorno aos encontros presenciais após o período mais crítico da pandemia causada pelo Covid-19. Para vivenciar e refletir sobre este momento histórico em que vivemos, o Feveres, como é carinhosamente chamado, traz para esta edição o tema “Cultivar convívios” e apresenta uma programação diversificada com espetáculos adultos, para todas as idades, ações pedagógicas, shows, sarau, debate, encontros e muito afeto.


A 16ª edição é a primeira em toda sua história a acontecer em Julho – normalmente o Festival acontece em Fevereiro –, para garantir um cenário sanitário que possibilitasse a presença física de artistas e plateia.


“O encontro presencial é fundamental para a história do Festival, que está fortemente marcado pelo acontecimento e movimento que sua programação gera na cidade. O Feverestival acredita e difunde a perspectiva de que os afetos e encontros são transformadores de realidades e ferramentas de fomento às novas perspectivas de mundo”, afirma o Núcleo Feverestival.


Desde 2003 o Feveres marca o calendário cultural de Campinas e consolidou-se como o principal festival de teatro da cidade. Criado e desenvolvido inicialmente no distrito de Barão Geraldo, reconhecido polo teatral do município, o Festival cresceu e se difundiu para outros cantos da cidade, criando diferentes formas de se relacionar com o público e com sua rede de apoiadores.


“Em 2022 celebramos a retomada gradual dos eventos culturais e queremos, de alguma forma, suprir a demanda da classe artística em busca de locais, festivais e eventos para voltarem a se apresentar e circular suas obras”, aponta o Núcleo.


O Núcleo Feverestival é composto por Bruna Schroeder, Cauê Moreira, Dandara Lequi, Dudu Ferraz, Francisco Barganian, Lucas Michelani e Vini Silveira. Confira as novidades da nossa programação em http://feverestival.com.br.


A 16ª edição é uma realização do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa; produção da Território Produções Culturais e Núcleo Feverestival; correalização da Universidade Estadual de Campinas, Cocen (Coordenadoria de Centros e Núcleos Interdisciplinares de Pesquisa), Lume Teatro (Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Unicamp) e Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura de Campinas.


Valorização regional e nacional


Os artistas da cena selecionados para compor a programação deste ano do Feverestival foram escolhidos após uma convocatória que priorizou trabalhos do Estado de São Paulo. Entre eles, estão grupos da capital, de Santo André, Botucatu e Franco da Rocha.


Além disso, o Feveres também convidou artistas de outras partes do país – Fortaleza/CE e Belo Horizonte/MG – que têm em seus currículos espetáculos que conversam diretamente com o eixo temático da edição.


A abertura do 16º Feverestival acontecerá no domingo, dia 3 de julho, com um dia inteiro um dia inteiro de ocupação artística na Lagoa do Taquaral, com ações pedagógicas, sarau e contação de histórias. Este dia será encerrado com o Cortejo Abre-Alas realizado pelo LUME Teatro, parceiro do Festival, e artistas convidados da cidade de Campinas.


Nos dias que seguem, a programação passeia por apresentações de espetáculos adultos, infantis (‘para todas as idades’), circenses, de rua, e festas com shows musicais no período da noite. Também haverá a presença de intervenções artísticas pelo Centro de Campinas.


Atração internacional: Argentina


Em todas suas edições o Feverestival oferece ao público de Campinas a possibilidade de apreciar espetáculos internacionais. Neste ano, quem compõe a grade de programação é a artista argentina Andrea Ojeda (Periplo Compañía Teatral), com “Autopsia Lírica de Creso”.

Nele a protagonista, Andrea Ojeda, se prepara para realizar uma “biopsia in extremis” do homenzinho econômico. “Como ele chegou ao poder? Como construiu seu reinado? Nesta história de homens, as mulheres aparecem insistentemente. Nesta “fábrica de desastres” irá palpitar desesperadamente a pergunta: Qual seria o movimento de “reação” ou “repulsão” que poderia nos levar a um novo ponto de equilíbrio?”, versa o grupo.


O espetáculo “Autopsia Lírica de Creso” será apresentado na Sala dos Toninhos (que vem aos poucos retomando suas atividades após paralisação por conta da pandemia) na terça e quarta-feira, dias 5 e 6, com contribuição voluntária no chapéu.


Ocupar espaços


Celebrar encontros, cultivar convívios... e valorizar o território em que habitamos. O Feverestival, neste ano, optou por realizar uma edição mais condensada na região central de Campinas e traz para a programação a ocupação de diversos locais públicos como teatros, praças e parques.


O Teatro Municipal Castro Mendes, figura já carimbada em edições anteriores, receberá dois grandes espetáculos da edição: “Mirar: quando os olhos se levantam” (Coletivo Labirinto – São Paulo/SP) e “Nós” (Grupo Galpão – Belo Horizonte/MG). A Sala dos Toninhos também entra na programação juntamente com o SESI Amoreiras para receber os espetáculos adultos. Já o SESC Campinas, apoiador do Feverestival de longa data, abre suas portas para os espetáculos 'para todas as idades' e também a residência artística que será realizada pela argentina Andrea Ojeda (Periplo Compañía Teatral).


Além deles, o público também vai ver o Feveres acontecendo em grandes parques como o Taquaral e a Arautos da Paz, em praças como a Carlos Gomes, Correia Lemos (em frente ao Castro Mendes), no Largo das Andorinhas e na Escola Estadual Carlos Gomes.


16ª edição


Neste ano, o Feveres traz o tema “Cultivar convívios”, propondo reflexões sobre este momento histórico em que vivemos com a crise sanitária provocada pelo Covid-19, crises políticas e a efervescência de discussões múltiplas sobre nossa existência na Terra.


Quando os Futuros Desejáveis (tema da 15ª edição, realizada em Fevereiro de 2020) nos são tolhidos, juntamos afeto para semear a potência que é estar vivo. Afinal, fazer um festival de teatro é acolher as dúvidas e incertezas coletivas do presente e transformá-las em um ato criativo. Por isso, este é um convite para que, através da teatralidade, possamos entrever outras perspectivas.


É possível habitar esse território respeitando a diversidade humana e honrando a terra em que pisamos? Quais as alternativas sociais e ambientais para que possamos ressignificar nosso modo de viver nesse planeta? Como cultivar convívios?


“Para pensar sobre essas questões, propomos olhar para as cartografias existentes em nosso território. Não nos interessam apenas as linhas geopolíticas bem definidas, mas também o olhar sobre as fronteiras culturais, percebendo e expandindo novas possibilidades de relações”, explica o Núcleo Feverestival.


Confira a programação completa do 16º Feverestival em nosso site: http://feverestival.com.br.