facebook-domain-verification=bq9ibo57eg8xlel54c8jg23e6jtq1x
top of page
FEVERES__testeira.jpg

Feverestival encerra 17ª edição sábado (5) com programação na Casa de Cultura Tainã

Festival propõe dia de atividades que envolvem teatro, música e grande celebração em torno do tema deste ano: ‘Tecnologias para sonhar’


Espetáculo 'Poeira' [Luan Renato Telles | Florianópolis/SC] (Foto: Agência Ophelia)


Após uma semana intensa de ações para todos os gostos e públicos na cidade, o Feverestival – Festival Internacional de Teatro de Campinas – encerra sua 17ª edição neste sábado, 5 de agosto, com atividades na Casa de Cultura Tainã, ponto de cultura e espaço de resistência política e cultural localizado na Vila Pe. Manoel de Nobrega. A entrada para o evento é gratuita, com retirada de ingressos no local. (Veja mais informações abaixo).


A Casa de Cultura Tainã, espaço escolhido para abrigar o encerramento, é parceira de longa data do Feverestival. Entidade cultural e social sem fins lucrativos, ela foi fundada em 1989 por moradores da Vila Castelo Branco com o nome de Associação de Moradores da Vila Castelo Branco. Mais tarde, através de um concurso, foi escolhido o nome de Casa de Cultura Tainã, que hoje fica na Vila Padre Manoel de Nobrega, na região noroeste de Campinas.


A Tainã apresenta-se, hoje, como uma das poucas opções de ação comunitária efetiva, sendo reconhecida como a única referência cultural numa região onde se registram todos os tipos de carências, resultantes da falta de políticas sociais que assegurem a sobrevivência e a qualidade de vida de crianças e jovens.


Para TC Silva, fundador da Casa de Cultura Tainã, a participação do espaço no Feverestival propõe caminhos de pensar a cidade através de sua totalidade, já que a mesma representa um conjunto de territórios que precisam estar conectados entre si. “O Festival, ao passar por aqui, transpõe os limites do pensamento, da política pública, da cultura plural e diversa e assim se reconhece. Neste movimento, a contribuição que deixamos juntos é a de pensarmos caminhos possíveis para uma cidade e cultura mais vivas, abertas para acolher, receber e intercambiar”.


A palavra Tainã, que em Tupi Guarani significa ‘caminho das estrelas’, curiosamente dialoga diretamente com a proposta temática do Feverestival neste ano, e abraça então a proposta de sonhar coletivamente um mundo melhor, mais justo e igualitário para cada um.


“A tecnologia que mais precisamos hoje é o respeito, a interação, a partilha, a comunhão; a tecnologia da vida, do partilhar terra, comida, casa… o afeto nos permite tudo isso e a proposta trazida pelo Festival é fantástica para a gente pensar um mundo do nosso jeito.” [TC Silva, fundador da Casa de Cultura Tainã]


O Núcleo Feverestival é composto por Bruna Schroeder, Cauã Borari, Cauê Moreira, Cristiane Taguchi, Dandara Lequi, Dudu Ferraz, Francisco Barganian, Juliana Kaneto e Mariella Siqueira.


Este projeto foi contemplado e patrocinado pelo Fundo de Investimentos Culturais de Campinas – FICC 2022, pertencente à Secretaria Municipal de Cultura e Turismo da Prefeitura Municipal de Campinas. O FICC tem como finalidade fomentar a produção artística local. A 17ª edição é uma realização do Núcleo Feverestival e Território Produções Culturais; correalização da Universidade Estadual de Campinas, Cocen (Coordenadoria de Centros e Núcleos Interdisciplinares de Pesquisa) e Lume Teatro (Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Unicamp).


Show 'Vissungo - O Canto dos Escravizados' [Tlhangana | Campinas/SP] (Foto: Divulgação)


Dia de atividades


A agenda na Tainã começa às 16h, com o espetáculo ‘OlorumAyé – Uma história Iorubá’ [Grupo Oriki], projeto de contação de histórias africana que nasceu da vontade e necessidade de se contar histórias pretas. O grupo narra, utilizando-se do lúdico como dança e música, o nascimento do mundo e a criação do ser humano através do olhar africano. A contação passa por três histórias. inicia-se com o conto do orixá Exu, o que come primeiro; depois a criação da mãe terra pelo Oriki de Oranyã e o nascimento dos seres humanos pelos orixás Oxalá e Nanã.


Após a primeira apresentação, às 17h, sobe ao palco da Tainã o show ‘Vissungo – O canto dos Escravizados’ [Tlhangana]. O projeto musical é realizado pelos musicistas Graciela Soares, Marcelo Santhu e Otis Selimane, e composto por arranjos contemporâneos e inéditos do álbum ‘O Canto dos Escravos’, gravado em 1982 por Clementina de Jesus, Geraldo Filme e Tia Doca.


Às 18h30 é a vez do público mergulhar no universo do ator convidado de Florianópolis/SC Luan Renato Telles, que apresenta o espetáculo solo ‘Poeira’. Na montagem, Luan leva o público a refletir sobre infância, masculinidades, família e amor através de um olhar para o passado, na busca por respostas até então desencontradas.


Para encerrar a noite de atrações, às 20h, o Festival recebe o show ‘África Semente’, de Graciela Soares com participação de músicos da própria Casa de Cultura Tainã. Neste momento, o Feverestival finalizará sua 17ª edição com uma festa e celebração coletivas.


Confira abaixo mais informações sobre cada atração do encerramento do 17º Feverestival:


OLORUMAYÉ – UMA HISTÓRIA IORUBÁ

GRUPO ORIKI

Campinas/SP | Espetáculo para todas as idades


Data: 5/8 (sábado)

Horário: 16h | Local: Casa de Cultura Tainã


Duração: 30min | Classificação etária: Livre | Acessibilidade: Libras

Ingressos: Grátis


Sinopse: Todas as culturas possuem seus contadores de história e por muitos anos coube a eles a discussão das relações humanas e dos acontecimentos naturais, preservando as crenças e tradições de cada povo. A fim de conservar a memória da comunidade negra e a tradição do aprendizado por meio da oralidade, o projeto ‘OlorumAyé’, palavra na língua iorubá que significa Olorum – ser supremo que concebeu o universo e Ayé – terra, é um projeto de contação de histórias africana que nasceu da vontade e necessidade de se contar histórias pretas. O projeto narra, utilizando-se do lúdico como dança e música, o nascimento do mundo e a criação do ser humano através do olhar africano. A contação passa por três histórias. inicia-se com o conto do orixá Exú, o que come primeiro, depois a criação da mãe terra pelo Oriki de Oranyã e o nascimento dos seres humanos pelos orixás Oxalá e Nanã.

Este projeto foi contemplado e patrocinado pelo Fundo de Investimentos Culturais de Campinas – FICC 2022, pertencente à Secretaria Municipal de Cultura e Turismo da Prefeitura Municipal de Campinas.


Ficha técnica:

Direção: Colaborativa | Dramaturgia: Ayo Bento | Elenco: Ayo Bento, Kaê Okano, Renata de Oliveira e Nico Villas Bôas | Técnico de Som: Henrique Manchuria | Técnica de Luz: Camilla Puertas | Produtora: Dandara Lequi


VISSUNGO – O CANTO DOS ESCRAVIZADOS

TLHANGANA

Campinas/SP | Show


Data: 5/8 (sábado)

Horário: 17h | Local: Casa de Cultura Tainã


Duração: 60min | Classificação etária: Livre | Acessibilidade: Não

Ingressos: Grátis


Sinopse: Graciela Soares, Marcelo Santhu e Otis Selimane – na formação de vozes, baixo e bateria – apresentam um show de cantos, textos e dança que levam o vissungo como palavra, mensagem e força de expressão, resgatando as vozes de ontem, ecoando-as para o amanhã. O repertório do show Vissungo, O Canto dos Escravizados é composto por arranjos contemporâneos e inéditos do álbum “O Canto dos Escravos”, gravado em 1982 por Clementina de Jesus, Geraldo Filme e Tia Doca.


Ficha técnica:

Tlhangana: Graciela Soares (Voz), Marcelo Santhu (Baixo), Otis Selimane (Bateria) | Iluminadora: Karen Mezza | Produção: Território Produções Culturais


POEIRA

LUAN RENATO TELLES

Florianópolis/SC | Espetáculo Adulto


Data: 5/8 (sábado)

Horário: 18h30 | Local: Casa de Cultura Tainã


Duração: 40min | Classificação etária: 10 anos | Acessibilidade: Libras

Ingressos: Grátis (distribuição de ingressos 1h antes no local)


Sinopse: A infância é um borrão na nossa cabeça. A gente sempre lembra pouca coisa de quando éramos crianças. Porém, tem uma pergunta, da qual me lembro com muita clareza, que me fizeram naquela época e que me acompanha pela vida: você nasceu pra ser ou pra fazer poeira? O espetáculo POEIRA é um olhar sobre o passado com intenção de responder algumas perguntas que ficaram sem respostas, levantando questões sobre masculinidade, família e amor.


Ficha técnica:

Diretor e ator: Luan Renato Telles | Iluminador: Cae Linn Beck | Operador de Som: Cae Linn Beck | Realização: Poeira Grupo de Teatro


ÁFRICA SEMENTE

GRACIELA SOARES

Campinas/SP | Show


Data: 5/8 (sábado)

Horário: 20h | Local: Casa de Cultura Tainã


Duração: 60min | Classificação etária: Livre | Acessibilidade: Não

Ingressos: Grátis


Sinopse: O show África Semente é composto por canções autorais da cantora paulistana Graciela Soares, mescladas com canções de artistas referência em sua trajetória. Dança, textos, arranjos vocais e percussão corporal são elementos utilizados na narrativa do show, que tem como disparador as vivências da cantora enquanto artista, mãe e mulher preta criada na periferia.

bottom of page